IGREJA ORTODOXA

A IGREJA CATÓLICA POR EXCELENCIA

 

Há dois mil anos, Nosso Senhor Jesus Cristo desceu à terra e fundou Sua Igreja, através dos Seus apóstolos e discipulos, para a salvação da humanidade.Nós sabemos pelo livro Sagrado dos Atos dos Apóstolos que os mesmos foram longe pregando os ensinamentos de Cristo e fundadram varias Comunidades e Igrejas. Todas essas Igrejas, embora separadas pela distância, eram unidas na mesma Fé, Celebrações e Sacramentos.Todas as Jurisdições Ortodoxas, como a de Antioquia, Alexandria ou Armenia são independentes em suas administações, mas ao mesmo tempo cada uma esta em plena comunhão com as outras, e com  Igreja de Roma e do Ocidente a um acordo firmado em 1984 por nosso Patriarca para mutua administração dos sacramentos.  A Igreja Ortodoxa ou Orientail permanece unida na Fé que receberam dos apóstolos, na doutrina, sacramentos, celebrações,tradição, ensinamento dos Santos Padres e dicisões dos primeiros Concilios Ecumênicos.
Apesar da nacionalidade, lingua e costumes diferentes, estas Igrejas permanecem na amizade freternas e juntas constituem a Igreja Católica Ortodoxa, todas gozam dos mesmos bens espirituais.Os ensinamentos da Igreja Católica Ortodoxa são derivados de duas fontes: as Sagradas Escrituras e a Santa Tradição. Os ensinamentos dos apóstolos não escritos foram transmitidos oralmente por inspiração do Espírito Santo e chegaram até nós como Santa Tradição.A Fé e a Doutrina Ortodoxa popdem ser encontradas nos Cânones e decretos dos Sete Concílios Ecumênicos. Nós Ortodoxos cultuamos a Deus na Santissima Trindade. Honramos e veneramos os Santos e as Reliquias Sagradas, dando maior veneração à Santissima, Purissima, Bendita e Gloriosa, Mãe de Deus e Sempre Virgem Maria. De acordo com os Cânones dos Santos Concílios Ecumênicos, nós veneramos os Ícones Sagrados e as Santas Reliquias como representantes de Deus e dos Santos.Nós reconhecemos os Sete Sacramentos: Batismo, Crisma, Eucaristia, Confissão, Matrimonio, Ordem e Unção dos Enfermos. Para os Católicos Ortodoxos, os Sacramentos do Batismos, Crisma e da Eucaristia são Sacramentos de iniciação cristã, tanto é que eles são ministrados ao catecúmeno no mesmo Ofício e Ritual de Batismo.A Igreja Ortodoxa é Una, Santa Católica e Apostólica. É Una porque Nosso Senhor Jesus Cristo fundou uma só Igreja. É Santa porque foi santificada pelo sacrificio de seu Fundaddor na Cruz e glorificada pela sua Ressurreição. É Católica porque é de caráter universal e não conhece limite de tempo, lugar, raças ou fronteiras. É Apostólica porque foi fundada nos fundamentos dos apóstolos e tem sucessão apostólica. É Ortodoxa porque é tradicional, segue retamente os ensinamentos de Jesus Cristo, cabeça da Igreja que é seu corpo, é guiada pelo Espírito Santo e dá a Deus o verdadeiro louvor.A Igreja Católica Ortodoxa é a Fé dos Patriarcas, a Fé dos Apóstolos, a Fé dos Mártires, a Fé dos Profetas, a Fé dos Santos, é a Fé Ortodoxa sem mácula e sem inovações.
 

A LITURGIA ORTODOXA E SEU CALENDÁRIO

 
    Nas suas celebrações a Deus, a Igreja Ortodoxa utiliza os ritos das antigas Igrejas Orientais até os dias de hoje. Em seus Oficios e Liturgias a Igreja usa os ritos: Armênio, Antioquino, Siriaco, Caldeu, Alexandrino, Copta e Etíope. Particularmente, a Igreja Sirian Ortodoxa usa a Liturgia de São Tiago Apóstolo, a mais antiga de todas.
Portanto, as liturgias utilizadas na Igreja Ortodoxa são aquelas que vieram até nós desde os primeiros séculos do cristianismo. O ápice da Igreja Ortodoxa é a celebração Eucaristica sob as duas espécies - o pão fermentado e o vinho transformando-se no Corpo e Sangue do Senhor na Divina Liturgia (Santa Missa).
    Além da Liturgia eucaristica, a Igreja Ortodoxa proporciona aos fiéis varios Oficios, que são celebrados para o fortalecimento na Fé e o desenvolvimento espiritual, tais como: Oficio de Véperas, Oficio de Matinas, Oficio das Horas, entre outros. É comum também entre os Cristãos Ortodoxos o uso de Oficios da piedade ortodoxa, frutos da religiosidade popular ortodoxa, como o Oficio em Ação de Graças, o Oficio do Acatistos em Louvor a Nosso Senhor, à Santa Mãe de Deus e aos santos de devoção do povo, Os Oficios de diversas bênçãos, genuflexões e metanias no periodo penitencial, e o Ofício Fúnebre, por ocasião do  falecimento de um fiel, ou aniversário deste acontecimento. Além das Procissões realizadas nas diversas festividades de Nosso Senhor, Sua Santissima Mãe e dos Santos.
    A Igreja  Sirian Ortodoxa, para as Festas Sagradas utiliza para o bem dos fiéis o calendario civil (Calendário Gregoriano).

 

Quem pode ser Ortodoxo?

    Todos, podem ser Ortodoxo, pois somos Católicos, ou seja, estamos abertos a todos.

    A Igreja Ortodoxa tem um carater universal, que se abre as diferentes nacionalidades e culturas, acolhendo a todos com suas particularidades e respeitando o individuo, não impondo a ele um molde, mas trazendo a ele a Boa Nova do Evangelho dentro de uma tradição mais ampla que respeita as diferenças e tem espaço para todos os que desejem viver na Igreja de acordo com seu Ensinamentos.

 

OS SANTOS ICONES

    A maior riqueza cultural, fruto da devoção ortodoxa, é a iconografia e os afrescos. O ícone é uma obra de arte que ultrapassa a própria arte. A mensagem do ícone é de ordem teológica e por isso o ícone fala aos homens de hoje como falou aos de outrora.O ícone é a imagem do invisível para o visível. A iconografia nasce da memória dos primeiros cristãos. Apenas por sua existência, cada ícone evoca o mistério da encarnação do próprio Deus. O ícone é sempre uma nova interpretação de uma realidade a absoluta que ele representa.Concílios e Sínodos da igreja Ortodoxa sempre insistiram no fato de que o pintor de ícones seja um homem de fé, virtudes, devoção e oração, a fim de preencher o seu papel de interprete da revelação divina. Enquanto pinta, deve evitar qualquer distração, deve orar, jejuar, pois é o caminho que o Espírito Divino lhe conferirá a Sua Graça. Portanto, o iconógrafo deve ser um instrumento do Espírito Santo e assim o ícone torna-se uma fonte de graça para aqueles que o contemplam.
    O ícone jamais pode ser interpretado como um ornamento nas igrejas e nos lares dos devotos, mas sim como um objeto de devoção. Nele vemos a beleza espiritual que nele está sendo representada. No ícone contemplamos a Grandeza Divina, o amor do Criador para com suas criaturas."O ícone é uma canção de triunfo, uma revelação, um permanente monumento à vitória dos santos e a desgraça dos demônios." São João Damasceno, 675 - 754.A iconografia é um patrimônio da Igreja indivisa.