Ordem

10/06/2010 06:13

 

 

"Vinde comigo, farei de vós pescadores de homens" (Mc 1,17).

 

Cada um recebeu de Deus dons pessoais para servir a comunidade. São os carismas ou dons do Espírito Santo, concedidos em vista do bem comum (I Cor 12, 4-27). Quem ensina, quem cura, aconselha, ajuda, preside, seja profissional ou voluntariamente, está exercendo um carisma sempre que o faz com e por amor às pessoas. É o exercício de um ministério, serviço para a comunidade.A ordem é um ministério sacramental. É um chamado de Jesus a algumas pessoas, para que consagrem sua vida à serviço da comunidade. É o ministério do Bispo, Sacerdote, Diácono que receberam o Sacramento da Ordem. Eles são consagrados e marcados pelo Espírito Santo, pela imposição das mãos, para falar e agir em nome de Jesus à semelhança dos apóstolos. Eles são convocados por Deus do meio da comunidade e para a comunidade. Eles são consagrados para serem outros Cristos. Por isso Jesus lhes confiou o anúncio da Palavra e a celebração dos sacramentos, que edificam a comunidade como o Corpo Vivo de Cristo. A comunidade deve pedir ao Senhor os ministros de que necessita. É Deus que chama, mas a comunidade, assim como a família, deve criar nos jovens a generosidade para responder ao possível chamado de Deus. Faz parte da formação o respeito que a comunidade deve ter para com os sacerdotes, diáconos e seminaristas. A valorização desses ministros pode despertar nos jovens o desejo de se consagrarem e também ajuda na perseverança de quem já respondeu ao chamado. Embora ministros Deus, têm suas fraquezas e defeitos, por isso precisam do apoio. A generosidade e o carinho da comunidade são o melhor apoio que devemos dar aos nossos seminaristas, diáconos, sacerdotes e bispos.Na Igreja Católica Ortodoxa existem três Ordens maiores, diácono, padre e bispo, e duas Ordens menores, leitor e subdiácono. Na Ortodoxia um homem casado pode ser tanto diácono como padre porém deve se casar antes mesmo de se tornar diácono. O diaconato é algo permanente e não um mero estágio para se chegar ao sacerdócio e assim há muitos diáconos que não tem interesse em se tornar padre. Um diácono é necessário para a plena celebração da Santa Missa
Uma vez recebida uma Ordem maior não se permite mais casamento, assim um padre ou diácono casado que fica viúvo não pode mais se casar. O clero ortodoxo se divide em dois tipos. O clero "branco" que são os casados e o clero "negro" que são os monges. Em principio um homem solteiro antes de receber o diaconato deveria antes fazer os votos monásticos (mesmo que não vá viver em mosteiro) porém isso nem sempre acontece e assim existem diáconos e padres "celibatários" que são solteiros, não podem se casar por já serem ordenados e não são monges mas nada impede que se tornem monges depois bem como um padre viúvo também pode se tornar monge. Isso é importante pois os bispos somente são escolhidos dentre o clero monástico. Muitas pessoas gostariam de ver restaurado o diaconato feminino. Diferente do ocorreu no ocidente onde as diaconisas parecem ter sido apenas leigas (ou se quer dizer que tenha sido apenas isso) no oriente as mulheres diaconisas realmente recebiam a primeira ordem maior exatamente da mesma maneira que os homens. A Igreja Ortodoxa nunca aboliu a ordenação de diaconisas porém lá pelo século sexto ou sétimo isso caiu em profundo desuso e sumiu completamente lá pelo século nono. Já no que diz respeito a Segunda Ordem maior a situação é bem diferente. Nunca houve mulheres padres e na Igreja Católica Ortodoxa muito provavelmente nunca haverá. Na Ortodoxia as ordenações ocorrem sempre dentro da liturgia e nunca se ordena mais do que uma pessoa por vez. A ordenação ou sagração de um bispo requer a presença de três (ou no mínimo dois) bispos. Ainda sobre os bispos ortodoxos é muito importante lembrar que eles tem a Sucessão Apostólica ininterrupta, possuem a plenitude do sacerdócio e dos sacramentos e são todos iguais entre si, sendo que Metropolitas, Arcebispos, Patriarcas, etc, se distinguem apenas pela hierarquia e pela honra mas são igualmente sucessores dos Apóstolos e nenhum é melhor ou mais apostólico que outro.